Total de visualizações de página

terça-feira, 23 de outubro de 2012

PAUTA ATPC- ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE LEITURA



Pauta Comentada
·        Estratégias e procedimentos de leitura
·        Leitura Colaborativa ou compartilhada
Objetivos
·         Compreender que a leitura colaborativa/compartilhada é uma atividade que favorece a circulação de informações sobre as estratégias utilizadas pelos diferentes leitores para atribuir sentido a um texto.
·         Refletir sobre os conteúdos envolvidos nas práticas de leitura compartilhada/colaborativa.
·        Utilizar estratégias de leitura para buscar informações nos textos: antecipar o significado; utilizar as informações não verbais; utilizar o conhecimento de mundo; fazer  as antecipações ( leitor e escritor autônomo)
·        Organizar e localizar informações, utilizando o procedimento e estratégias para aprofundamento e enriquecimento de seu conhecimento;
·        Refletir sobre a transformação das informações e interagir com as estratégias de argumentação  que levem os alunos a utilizar as habilidade já adquiridas.
Conteúdos

  • Leitura colaborativa;
  • Estratégias e procedimentos de leitura.

Atividade 1
Ler com os professores o texto e discuti-lo “

Atividade 2
Apresentar apenas a manchete da notícia  “Estudantes ganham bicicletas para ir e voltar da escola e têm aula sobre ciclismo”  -colocar na lousa e perguntar aos professores sobre o que a notícia iria falar, o que era possível saber a respeito do texto lendo apenas a manchete. Depois comparar o titulo e a imagem e instigar as hipóteses e argumentação dos professores ”O que  já ´´e  possível saber sobre o que o texto falaria. Devemos começar   a leitura do texto, sempre questionando-os a respeito das hipóteses levantadas, se havia confirmado aquilo que pensaram no ínicío ou não (chegar, confirmar as hipóteses).
Determinar quais estratégias foram mobilizadas na leitura do texto.
Após a leitura houve nova roda de discussão a respeito das estratégias: quais haviam sido usadas ao longo da leitura

Após a formação dos professores preparar a atividade para os alunos.

1ª passo – Informações sobre o portador onde a matéria foi publicada;

2ª passo – Levantamento de hipóteses acerca do título do texto (notícia/reportagem);

3ª passo – Leitura para confirmação das hipóteses;

4ª passo – (questionamentos sobre as imagens associando  o Titulo com a imagem)
5ª passo – Leitura do texto para checar hipóteses;

6ª passo – retomada do texto em pontos importantes para localizar informações e confirmar hipóteses;

7ª passo – Associações com outros textos e conhecimentos dos alunos .(capacidade de apreciação e  réplica, que se constrói a partir de várias outras leituras, dando ao leitor a habilidade de agregar informações e saberes ao que ele já possuí).



ANEXOS-

19/08/2012-02h30


        Estudantes ganham bicicletas para ir e voltar da escola e têm aula sobre ciclismo
SIMONE TINTI
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA
"Antes, só brincava com a bicicleta. Hoje, ela é um meio de transporte", diz Amanda Jansen, 14, aluna do 8º ano do CEU (Centro Educacional Unificado) Parque Anhanguera, na zona norte. A frase dela resume o objetivo do projeto Escolas de Bicicleta, que, desde maio, leva alunos da escola para casa (e vice-versa) em bicicletas: preparar ciclistas urbanos para pedalar nos deslocamentos diários.
"Temos de convencer a sociedade de que a bicicleta pode ser rápida, segura e prazerosa", diz Daniel Guth, coordenador do projeto, uma parceria da Secretaria Municipal de Educação com o Instituto Parada Vital.
Gabo Morales/Folhapress





A preparação da garotada começa com um curso teórico. Nele, há noções de mecânica e orientações de como se portar no trânsito, incluindo regras da faixa de pedestres e a importância de sinalizar as conversões com as mãos.
No fim de um mês de aula, eles são autorizados a fazer o trajeto diário casa-CEU-casa em grupos de 15 a 25 alunos acompanhados por dois monitores.
Os ciclistas saem equipados com capacete e colete refletor, e as bicicletas têm bandeirinha (para cortar fio de pipa), campainha, espelho retrovisor, luzes traseira e dianteira.
Comboio de "bikes"
"No início, o grupo de alunos é uma atração no bairro, as pessoas saem para vê-los. Aos poucos, os motoristas se habituam às bicicletas e dão passagem para o comboio", conta Guth.
No momento, o projeto está em 43 CEUs e no Centro de Convivência Educativa e Cultural de Heliópolis, na região sul, com cerca de 700 adolescentes já nas ruas (e 200 em formação). O objetivo é que, até o fim deste ano, todas as turmas dos 45 CEUs da cidade já estejam participando do projeto, totalizando cerca de 4.600 ciclistas.
Para pedalar, os alunos precisam estudar no ensino fundamental de um dos CEUs da cidade, ter de 12 a 14 anos de idade, o consentimento dos pais e morar na região da ciclorrota de cada bairro, caminho predeterminado do comboio. A escolha da rota prioriza ruas onde há pouca (ou nenhuma) circulação de ônibus, com o mínimo de aclives possíveis e sem grandes avenidas.
A São Paulo acompanhou a volta para casa de uma turma do CEU Parque Anhanguera, em julho. Antes mesmo de cruzarem o portão, eles pedalam no pátio e dão nomes às "bikes".
O passeio começa com uma dura ladeira. A maioria desce da bicicleta para empurrá-la. Mas ninguém reclama é visível a animação da garotada.
Depois de tudo pronto, saem em um "cardume" com dois monitores, que têm o papel de fazer sinal para os carros e ajudar quem ainda tem alguma dificuldade com a bicicleta. Se alguém demora mais em uma subida ou descida, o grupo para e espera.
"Mesmo que esses alunos se tornem motoristas no futuro, eles serão sempre ciclistas e terão mais respeito com as bicicletas", diz Daniel Guth.


.

                                                     










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário